Você se julga uma pessoa especializada?

Fonte da Imagem: Internet

(*) Por Jânio Oliveira

Olá, Caríssimos Leitores:

Vivemos numa verdadeira aldeia global digital, onde a competitividade está cada vez mais hostil e agressiva. O mercado da tecnologia é dinâmico exigindo que os profissionais estejam cada vez mais preparados. Dessa maneira para se diferenciar e conquistar seu espaço é preciso ter conhecimento não somente em uma área específica, mas em diversas áreas do conhecimento. Dominar apenas uma área de atuação é coisa do passado!

Vale ressaltar que às vezes uma boa capacitação nem sempre pode ser adquirida com o desembolso de alguns mil reais Neste primeiro artigo de uma série de outros que estarão por vir enumeramos uma lista de cursos grátis e de qualidade via Internet oferecidos por grandes e conceituadas empresas, as quais têm um único propósito: capacitar e atualizar pessoas para atuarem ou se tornarem mais competitivas no mercado de trabalho.

Fonte da Imagem: Internet

Os cursos oferecidos na modalidade online a distância (Internet) permitem que o aluno se dedique ao desenvolvimento de suas competências de forma sistematicamente organizada, porém sem a necessidade de se deslocar até uma escola. Esta modalidade utiliza diversas ferramentas de comunicação que ajudam ao aluno a construir o seu próprio conhecimento.

Portanto, se o seu propósito está vinculado à natureza deste artigo, não deixe de ver a lista a seguir, fruto de uma compilação de pesquisa, ou melhor, de uma verdadeira garimpagem na rede mundial de computadores e bons cursos!

Fonte da Imagem: Internet

LISTA DE EMPRESAS QUE OFERECEM CURSOS ONLINE GRÁTIS

A Fundação Bradesco, através de sua Escol@ Virtual – portal de e-Learning dedicado a oferecer cursos a distância – via Internet e semipresenciais, disponibiliza para alunos e ex-alunos, educadores e colaboradores da Fundação Bradesco, além de pessoas da comunidade e desempregados que queiram obter uma nova especialização ou requalificação para o mercado de trabalho.

A seguir, relação de cursos, organizados por Área, oferecidos pela Fundação na modalidade a distância:

Administração:
Administração e Planejamento de Finanças Pessoais
Análise de Balanços
Contabilidade Empresarial
Matemática Financeira

Banco de Dados:
Administrando e Armazenando Dados com SQL Server 2005
Modelagem de Dados
Projetando e Implementando Dados com SQL Server 2005

Cursos de Aperfeiçoamento/Comportamentais:
Comunicação Escrita
Criança+Segura na Internet
Currículo sem Segredo
De Acordo com o Novo Acordo
Dinâmicas e Testes na Seleção
Economia de Energia
Entrevista: Como encará-la
Introdução ao e-Learning
Postura e Imagem Profissional
TI na Educação

Desenvolvimento de Aplicativos:
Análise Estruturada de Sistemas
Aplicações Java Mobile
Aplicações Windows Mobile
C++ Desenvolvimento Orientado a Objeto
CMM – Sistema de Modelagem para Desenvolvimento de Software
Emgenharia de Requisitos
Expression Blend
Fundamentos das Aplicações Móveis
HTML – Avançado
HTML Básico
Ilustração & Design Gráfico para Web
Inovando com CSS
Introdução ao JavaScript
Introdução ao VB.Net (Em atualização)
Lógica de Programação
Processo de Desenvolvimento de Software
Programação em C#
Programação Orientada a Objeto (Em atualização)
Revisões, Verificações e Inspeções
Silverlight
System Design Overview
Teste e Resolução de Problemas
UML – Linguagem de Modelagem Unificada (Em atualização)
WebDesign

Fotografia:
Introdução à Fotografia Digital

Governança de TI:
Estratégia de Negócios (Em atualização)
Fundamentos de COBIT
Fundamentos de Governança de TI
Gestão de Estratégia – BSC
Gestão de Processos – BPM
Gestão de Projetos 01 – Como trabalhar com projetos?
Gestão de Projetos 02 – Como iniciar o trabalho com projetos?
Gestão de Projetos 03 – Como Planejar o Escopo, Prazo e Orçamento do Projeto?
Gestão de Projetos 04 – Como Planejar os demais aspectos do projeto?
Gestão de Projetos 05 – Como Executar, Monitorar, Controlar e Encerrar Projetos?
Gestão Estratégica de TI – ITIL

Informática:
A Internet e a World Wide Web (Em manutenção)
Estilos de Vida Digitais (Em manutenção)
Internet Explorer 8.0
Introdução à Informática
Noções Básicas sobre Computadores (Em atualização)
Programas de Produtividade (Em manutenção)

Infraestrutura:
Fundamentos de Rede

Segurança:
Segurança da Informação
Segurança e Privacidade do Computador (Em manutenção)

Sistemas Operacionais:
Microsoft Windows Server 2003
Microsoft Windows XP

Office 2003:
Microsoft Access 2003 – Avançado
Microsoft Access 2003 – Básico
Microsoft Access 2003 – Intermediário
Microsoft Excel 2003 – Avançado
Microsoft Excel 2003 – Básico
Microsoft Excel 2003 – Intermediário
Microsoft PowerPoint 2003 – Avançado
Microsoft PowerPoint 2003 – Básico
Microsoft Word 2003 – Avançado
Microsoft Word 2003 – Básico
Microsoft Word 2003 – Intermediário

Office 2007:
Introdução ao Pacote Office 2007
Microsoft Access 2007 – Avançado
Microsoft Access 2007 – Básico
Microsoft Excel 2007 – Avançado
Microsoft Excel 2007 – Básico
Microsoft Excel 2007 – Intermediário
Microsoft Office Outlook 2007
Microsoft PowerPoint 2007 – Avançado

Office 2010:
Microsoft Excel 2010 – Básico
Microsoft PowerPoint 2010 – Avançado
Microsoft PowerPoint 2010 – Básico
Microsoft Word 2010 – Avançado
Microsoft Word 2010 – Básico
Microsoft Word 2010 – Intermediário

Para maiores informações e inscrições, acessar o site oficial:

http://www.ev.org.br/Cursos/Paginas/Cursos.aspx

A Fundação Getulio Vargas é a primeira instituição brasileira a ser membro do OpenCourseWare Consortium – OCWC –, um consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos sem custo, pela internet.
Membro desde julho de 2008, o FGV Online venceu, em 2011, a primeira edição do OCW People’s Choice Awards – premiação para as melhores iniciativas dentro do consórcio –, na categoria de programas mais inovadores e de vanguarda.
A seguir relação de cursos, organizados por Área de Conhecimento oferecidos pela FGV na modalidade a distância:

Direito:
Argumentação Jurídica
Aspectos gerais da arbitragem
Conceitos e Princípios Fundamentais do Direito Tributário
Contratação de Trabalhadores
Gestão do Poder Judiciário
Introdução ao Direito Imobiliário
Investigação Criminal e Instauração da Ação Penal
O Juiz e a Ética
Patentes e bases legais
Reforma no CPP

Gestão Empresarial:
Balanced Scorecard
Ciência e Tecnologia
Condutas Anticompetitivas
Conhecimento, Saber e Ciência
Direitos Autorais e Sociedade
Diversidade nas Organizações
Fundamentos da Gestão de TI
Introdução à Administração Estratégica
Solução de controvérsias privadas

Gestão Financeira:
Como fazer investimentos – básico
Como organizar o orçamento familiar
Como planejar a aposentadoria
Fundamentos da Gestão de Custos

Educação e Comunicação:
Espaço da Universidade na Sociedade
Filosofia
Formação Docente para Professores de Direito
Quiz : Jogo das Novas Regras Ortográficas – Reconhecendo Texto e Contexto
Sociologia

História e Ética:
Ética Empresarial

Gestão de Projetos:
Gerenciamento do Escopo de Projetos

Economia:
Intermediação em Investimentos Financeiros
Introdução ao Private Equity e Venture Capital para Empreendedores

Gestão de Pessoas:
Motivação nas Organizações
Processo de Comunicação e Comunicação Institucional
Recursos Humanos

Gestão de Marketing:
Produto, Marca e Serviços

Gestão de Produção:
Qualidade em Serviços

Gestão Socioambiental:
Relevância das Questões Ambientais
Sustentabilidade aplicada aos negócios: orientações para gestores
Sustentabilidade no dia a dia: orientações para o cidadão
Sustentabilidade, um valor para a nova geração: orientações para o professor do ensino fundamental

Para maiores informações e inscrições, acessar o site oficial:

http://www5.fgv.br/fgvonline/Cursos/Gratuitos

No mais, até a Parte 2 deste artigo, onde traremos mais cursos grátis na modalidade a distância.

(*) Jânio Oliveira é um profissional de TI e Jornalismo apaixonado por Tecnologia que gosta de escrever e usar a World Wide Web para fins de pesquisa e aperfeiçoamento profissional.
Jânio Oliveira
Especialista em Tecnologia Educacional
Web Design Specialist
Web Developer
DBA Adabas/SQL Server/Oracle (pela EMGETIS – Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação
Professor Universitário (TI, Computação Gráfica e Novas Tecnologias – 17 anos)
Produtor e Apresentador do Quadro “INFO TV” – Programa Entre Amigos
Diretor de Desenvolvimento – Universal Web Studio Digital.
Jornalista DRT/SE 0001801

Relacionamentos Virtuais: o amor na era cibernética

Olá, Caríssimos Leitores!

(*) Jânio Oliveira

Em meio à nova febre cibernética brasileira, o “Facebook”, este fenômeno dos relacionamentos virtuais da Era Digital – desde há muito, propalada, badalada nos EUA, foi-me criando vontade para escrever algo relativo a sentimentos. Porém, algo que falasse de “sentimentos na era cibernética”, afinal, todo mundo tem absolutamente uma história de amor pela Internet para contar e às vezes, não conta por pura vergonha por medo de se expor.

Fundamentalmente, o amor virtual é diferente do real, mas pode ter relações próximas e até reais. Sabe aquela história de “quando o virtual cai na real”. Pois é…

Simplesmente coisa de “nerd” ou de adolescente, aquele ou aquela que fica horas e horas madrugada afora em frente ao computador – teclando, comunicando-se, maioria das vezes, com pessoas de origem desconhecida, e às vezes, de procedência duvidosa, cujo caráter pouco confiável – simplesmente porque se encantam com sua foto miniatura ou com sua habilidade no uso do vernáculo. Talvez, quem sabe, entrando no campo da psicologia, uma maneira de exorcizar a timidez típica da idade – quiçá um jeito novo e inusitado de desenvolver sua auto-estima e auto-afirmação. Infelizmente, este é o lado sombrio dos relacionamentos virtuais amorosos, onde a inocência das pessoas em comunicar-se com o “desconhecido” pode levá-las ao pior. É exatamente aí onde mora o perigo.

Aliás, deixamos aqui um alerta: em tempos de relacionamentos na World Wide Web, todo cuidado é pouco. Muito cuidado com quem fala, com quem se comunica, com quem tecla. Você pode estar entrando num caminho sem volta.

Todavia, esse não é o propósito do artigo, isto é, mostrar o lado sombrio da “teia”. O que pretendemos neste é focar, evidentemente, na importância das redes sociais como instrumento de relação e inter-relacionamento amoroso daqueles ou daquelas que se propõem a navegar neste oceano imerso em “bits”.

Face a isso, prazerosamente, à medida que íamos escrevendo o artigo, lembrávamos daquele que escrevi sobre: “Comunidades Virtuais e as novas Formas de Relacionamento Humano” – este que foi o ponto de partida para a série de outros artigos. Tentávamos aproveitar esse momento de prazer para jogar inspiração. E este é o resultado, o qual trazemos em primeira mão para o caríssimo leitor. Ops! caríssimo internauta. Oxalá, consigamos proporcionar prazer na leitura aqui proposta, afinal, há quem diga que não existe assunto que desperte tamanho interesse em ler do que aquele que se refere a “sentimentos”. Verdade seja dita!

Há quem diga ainda que a vida somente tem sentido, que só é feliz quem nutre um grande e inesquecível amor. Aquele amor verdadeiro, regado, evidentemente, por um “amor romântico”. E o clima do texto parece que vai bombar…! Essa, portanto, é a nossa proposta, prender a atenção do internauta/leitor em cada linha lida.

Fonte da Imagem: Internet

Hoje, está mais do que claro que as redes sociais são utilizadas para diversos fins. Seja para compartilhamento de conhecimento, seja para troca de informações, status social, seja para alimentar uma paquera, um ponto de vista ou, na pior das hipóteses para mostrar seu alto índice de popularidade (neste caso, pura asneira – conheço gente que sai adicionando pessoas que nunca teve contato só para mostrar para Deus e ao mundo quantitativo expressivo em sua gorda lista de amigos kkkkkkkkkkkkkkk – merece ou não merece uma gargalhada!). O cara é fera, ninja, danado ou “besta”? Não precisa responder, já sabemos sua resposta, apesar de não termos “bola de cristal”.

Mas chega de preambulação e apertemos os cintos para esta viagem cibernética e nos deixemos levar por este clima apaixonante, ou melhor: seguremos o coração e nos deixemos levar por este contagiante artigo…

…“Automatic Lover” – I Am Robot Automatic Lover… Robot Automatic Lover – Quem não lembra dessa inesquecível canção interpretada por Dee D. Jackson,  veiculada no final da década de 70. Naquela época o homem criou um mundo em que a máquina (robô) era dotada de sentimentos e que terminou apaixonando-se por uma mulher real.

Foto Internet: Automatic Lover – Dee D. Jackson

Um robô (computador inteligente – será que existe?) apaixonado. Uma visão fictícia para a época, mas real para um futuro não muito distante – há quem achasse isso na época. Imaginava-se algo em torno do ano 2010 por aí. A máquina dotada de sentimentos, com capacidade própria para amar, “dom” existente somente ao ser humano. Embora vivamos cercados pelas máquinas e suas novas tecnologias, percebe-se que é pura imaginação criada pelos aficionados do mundo digital.

Mas com o avanço das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), sobretudo da Internet e com a utilização dos computadores em rede, surgem novas comunidades no planeta – as “cybercomunidades” – as chamadas redes de relacionamento virtuais.

Fonte da Imagem: Internet

Um mundo novo, uma nova era. A “Era Cibernética” como ficou conhecida. Por aqui o grande filão, a grande sacada é a “comunicabilidade em rede”, tal qual seria no mundo real, como muito bem dizia o saudoso chacrinha: “quem não se comunica se trumbica”. Essa frase é mais do que indispensável para que sejamos bem sucedidos hoje em dia, seja no aspecto pessoal, seja em nível profissional, quer seja no mundo real, quer seja no mundo virtual, embora este último, “frio” no sentido da palavra afetiva e “distante” do ponto de vista geográfico e não poderia ser diferente. Mas, paradoxalmente, por aqui, no mundo virtual há vida inteligente sim, troca de experiências, discussões, exposição de opiniões, sentimentos, encontros, desencontros e até mesmo reencontros. É uma nova civilização que surge, não de caráter concreto mas, sobretudo, virtual, uma civilização invisível, digital, moderna, plugada em “bits” ou “bytes” como queiram. Freud certamente aprovaria essa práxis. A geração “y” que nos diga e que não nos deixa mentir, a qual, traz uma nova forma de se relacionar, onde o computador aparece como peça chave, “inteligente”, difusor da comunicação e dissipador de sentimentos – o chamado “testa de ferro” – o hardware, a parte dura – lembra dos conceitos iniciais de informática?

Assim, em meio a essa nova era, inúmeras são as histórias de amizades, namoros e casamentos que acontecem a partir deste novo mundo! Contudo, parece algo irônico, fictício ou até mesmo inusitado – como pode: “máquinas” se relacionando em um novo mundo, numa nova era, a chamada “Era Digital”?

Fonte da Imagem: Internet

Venhamos e convenhamos: é sabido que “computadores” por mais evoluídos que sejam, não pensam e nem têm sentimentos, obviamente! Isto nos faz lembrar das sábias palavras de Michio Kaku:

“…os computadores não têm bom senso e não possuem visão real. Podem enxergar, mas não compreendem o que vêem e ouvem”.

É claro que por trás destas máquinas frias, insensíveis e “não-pensantes” existem seres humanos “pensantes”, cérebros humanos, comandando-as, relacionando-se mutuamente. São eles – os seres humanos que fazem acontecer, claro, tirando os “chatos de plantão” – aqueles que postam asneiras ou que hostilizam opiniões alheias, sem fundamento. São eles, seres pensantes que provocam o diálogo, a troca de experiências, compartilham, sobretudo, sentimentos. É o vislumbre do mundo moderno. Um mundo virtual que compatilha emoções reais. E através das máquinas (computadores) formam-se as “cybercomunidades”, comunidades que embora virtuais, emanam sentimentos e valores próprios, reais, na verdadeira acepção da palavra!

Fonte da Imagem: Internet

E, em meio a esse clima paradoxal de sentimentos: real versus virtual, virtual versus real, o coração do mortal acelera e como acelera! Neste momento sedutor, faz-nos parafrasear o genial Charles Chapplin:

“…não, não sois máquinas, homens é que sois”.

Decerto, quer sejamos máquinas (no sentido figurado, claro!) quer sejamos “simples” mortais, a coisa flui e com muita intensidade!

Fenomenalmente este é, simplesmente, o Mundo Cibernético, onde as coisas acontecem e se propagam na “velocidade da luz”, proporcionado pelas TICs, particularmente pela Internet e suas ramificações. E porque não citar nessas linhas finais o fenômeno que surge para aproximar pessoas e empresas, ainda que, geograficamente distantes, o “FACEBOOK” ou, simplesmente, “Face” no linguajar da nova geração – essa palavra de 8 letras de origem inglesa. Hoje é o que se houve falar, todavia, “compartilhar e curtir” sejam suas palavras de ordem!

Certamente vivemos em um novo mundo, um mundo dinâmico, uma nova era, embora virtual é repleta de sentimentos, valores e experiências. Por aqui existe vida sim e é real!!!

E você, já compartilhou, já curtiu alguma coisa hoje? Se não, provavelmente, perdeu fatos e informações importantes, ou não!

(*) Jânio Oliveira é um profissional de TI apaixonado por Tecnologia. Que gosta de escrever e usar a World Wide Web para fins de pesquisa e aperfeiçoamento profissional.
Jânio Oliveira
Especialista em Tecnologia Educacional
Web Design Specialist
Web Developer
DBA Adabas/SQL Server/Oracle (pela EMGETIS – Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação
Professor Universitário (TI, Computação Gráfica e Novas Tecnologias – 17 anos)
Produziu e Apresentou o Quadro “INFO TV” – Programa Entre Amigos
Diretor de Desenvolvimento – Universal Web Studio Digital.
Jornalista DRT/SE 0001801

 

Impactos na vida real das relações pessoais da vida virtual

(*) Sueli Bacelar

Como anda suas relações pessoais? Há quanto tempo você cumprimentou o seu vizinho e seus amigos das  redes sociais da internet? De que forma as atitudes e ações de seus amigos virtuais e físicos lhe atingem?

Um estudo, realizado por duas universidades alemãs, divulgou, em 22 de janeiro, o relatório “Envy on Facebook: A Hidden Threat to Users’ Life Satisfaction?” (Inveja no Facebook: uma ameaça escondida à satisfação da vida dos usuários”, em tradução), demonstrando que ações no Facebook pode causar inveja e provocar infelicidade e solidão. De acordo com o relatório, uma em cada três pessoas se sentiu menos satisfeita com sua vida pessoal depois de acessar a referida rede social.

A pesquisa mostra também que as pessoas que não fazem comentários e postagens, mas ainda assim ficaram “stalkeando” (seguindo compulsivamente) a vida dos amigos, foram as mais afetadas.

Muitos fatores são causadores da inveja, como compartilhamento de fotos de férias e de viagens e interações sociais. Alguns usuários quantificam os parabéns recebidos, ações de curtir e/ou comentários em fotos e postagens, para comparar e analisar sua popularidade.

Já os psicólogos do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) acredita que as redes sociais digitais têm tornado as pessoas antissociais, pois acabam com a conversa de verdade. A psicóloga Sherry Turkle afirma que o sacrifício das conversas reais tem sérias consequências nas relações e emoções. A possibilidade de poder mexer nas mensagens enviadas via SMS, email ou em redes sociais, por exemplo, é uma forma de proteção e de mostrar apenas o que se quer ser. A psicóloga acredita que as conversas em redes sociais são artificiais se comparadas às reais.

Enquanto o ambiente virtual encurta distâncias geográficas, trazendo para perto atitudes que estavam longe. Também mostra o quanto bem ou mal alguém está e seu envolvimento ou não com o problema do outro. E aí, os questionamentos começam. Porque alguém se manifestou ou se calou sobre algum assunto? Ao mesmo tempo que facilita o ato de voltar atrás, apagando a postagem, reescrevendo-a, ou mesmo observando sem ser visto ou percebido. Esses são alguns dos detalhes da vida virtual.

Recentemente foram lançados dois livros que mostram os dois lados das relações sociais na vida digital. “Networked: The New Social Operating System” (“Em Rede: O Novo Sistema Social”, sem edição em português) do sociólogo Barry Wellman, da Universidade de Toronto, e Lee Rainie, diretor do instituto Pew; no qual defendem que os sites de redes sociais são elementos de união. Enquanto que “Vertigem Digital”, de Andrew Keen, historiador, empreendedor pioneiro do Vale do Silício procura explicar por que as redes sociais estão dividindo, diminuindo e desorientando seus usuários.
O que realmente vale a pena é a experiência e os impactos que o mundo virtual traz na vida real. E para você as redes sociais te aproximam ou afastam dos amigos? Te traz benefícios ou malefícios? Ou seu perfil é somente um número em uma estatística de pesquisa?

(*) Sueli Bacelar é formada em Processamento de Dados, pós-graduada em Ciência da Computação, gerente de Governança e Inovação da Emgetis e estudiosa dos assuntos de internet. Contato: subacelar@yahoo.com.br